1 2 3 4

quarta-feira, 18 de julho de 2012

NOVA TAG AQUI NO BLOG: Folhetim



Oie! Eu estou escrevendo um livro, vocês aqui sabem. Então, eu já disse que tenho dificuldade de terminar projetos iniciados. Então, é melhor fazer pequenas histórias periodicamente.
Vou postar uma vez por semana, um capítulo do livro:
Ainda tenho que escolher o nome do livro (esse não é o nome).
Está aí o primeiro.


1º Capítulo: Seu nome era Josh...
Finalmente eu estava indo para os Estados Unidos. Iria ver L.A. de perto!
Eu ficava imaginando quem eu encontraria, se eu iria me apaixonar por um california boy e querer ficar lá para sempre...
Era minha primeira viagem de avião então eu estava meio que com medo de ocorrer algum acidente.
No dia do embarque, eu soava ansiedade. Me despedi da minha mãe e fui com a minha vó fazer o check-in. Depois das formalidades, estava eu num avião rumo à tão esperada Califórnia.
Eu preferi dormir no voo. Me lembro de pensar "O tempo dos sonhos não é o mesmo tempo da realidade. Logo logo estarei onde eu quero e esperarei menos por isso."
Me lembro de sentir uma turbulência e de acordar assustada. Minha vovó disse que já iríamos pousar. Tratei logo de abrir um sorrisão. Eu havia trabalhado tanto para aquilo. Eu estava feliz.
Eu voltaria no quinto dia então eu já estava com vontade de sair correndo pelo aeroporto gritando 'LA me espere, quero te conhecer!' mas minha vó e minha educação não deixavam.
Deixei minhas malas no hotel e fui conhecer a cidade. Minha vó estava com jet lag então preferiu dormir um pouco.
Tomei um banho, coloquei a roupa mais descolada que eu tinha e fui.
As palmeiras, os prédios até as plaquinhas de rua: tudo parecia encantador. Eu vi uma garota com um cocá de índio. Uau, eu achei aquilo o máximo.
Mas (eu odeio quando tem um "mas" e tudo piora!) começou a chover. Eu não acreditava naquilo! Eu, em Los Angeles, querendo absorver o máximo de luz possível e o que estava acontecendo, era que eu tomava um banho de chuva!
Pra terminar com o meu dia, um carro passa e me joga a maior lama! Eu o xinguei com toda a potência da minha voz.
Ops! O motorista parou e desceu do carro. Eu pensei "Agora estou numa enrascada! Vou ser presa!".
Ele disse:
-I'm sorry! I'm so so sorry! What I can do for you?
(Sinto muito! Sinto muito mesmo! O que eu posso fazer por você?)
-You could go back in time and move away from that puddle but since I'm all wet, you could let me back in the hotel?
(Você poderia voltar no tempo e passar longe dessa poça mas já que eu estou toda molhada, você poderia me deixar de volta no hotel?)
-Yeah! Come in.
Fiz questão de sujar todo o banco.
Então ele me perguntou:
-De onde você é? Seu sotaque é diferente. Deve ser lá do Tenessee!
-Definitivamente não sou do Tenessee. Sou brasileira.
-Afinal, qual seu nome? - Ele disse, acho que ele estava jogando charme na voz... Meu coração já palpitava mais intensamente.
-Meu nome é Andréa. E o seu?
-O meu nome? Meu nome é Josh.
Dei um suspiro. Acho que há coisas ruins que trazem coisas boas. E sobre essa "coisa", seu nome era Josh.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...